PLANTANDO COM LÁGRIMAS E COLHENDO COM ALEGRIA

PLANTANDO COM LÁGRIMAS E COLHENDO COM ALEGRIA

Dezembro 14th, 2017
0

“Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria.
Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos.”  Salmo 126:5-6

INTRODUÇÃO
O Salmo 126 fala da preciosa semente que é a palavra de Deus. Geralmente, para pregar e desempenhar a missão de lavar o Evangelho, a Igreja passa por muitas aflições. Muitas pessoas rejeitam a mensagem e impedimentos sem fim aparecem em nosso caminho, mas, mesmo chorando devemos falar de Jesus, pois haverá uma recompensa pelo nosso trabalho e muitas pessoas irão ter suas vidas mudadas por receberem no coração a preciosa semente.
Nem tudo, porém, são lágrimas. Quando vemos pessoas de renderem a Cristo aceitando a salvação, mesmo que tenhamos sofrido e chorado muito na semeadura, nossa alma se enche de júbilo, pois o céu está sendo povoado e o inferno saqueado.
Cada um de nós que aceitamos a fé em Jesus devemos trilhar este caminho que nos leva a semear, mesmo em meio ao choro. É no mesmo caminho que sentimos a alegria de saber que há festa no céu por um pecador que se arrepende.

1. JESUS NOS DEIXOU A MISSÃO DE SEMEAR
Às vezes pensamos erroneamente que a missão de semear o Evangelho é apenas para os pastores, evangelistas e missionários. A ordem de Jesus foi que todos os que foram alcançados pela graça do Evangelho pudessem alcançar outros e isto só pode ser feito quando a semente é plantada no coração. Existem três razões essenciais para cumprirmos a missão de semear, independente da posição que ocupamos na igreja, se somos obreiros ordenados ou não.

1.1 O Ide de Jesus é para todos.
Não, esta ordem não foi uma investidura missionária apenas para os discípulos. Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, aquele que deu sua vida por você e por mim, nos comissionou, deu uma ordem clara e objetiva: IDE. Para ser mais preciso ele disse: INDO. No original, a palavra “ide” é “indo”. Por isso essa ordem é para todos. Jesus disse: Indo, fazei discípulos; indo, pregai. Este “indo” tem a ver com a nossa vida diária: indo a padaria, fazei discípulos; indo ao trabalho, fazei discípulos; indo a faculdade, fazei discípulos; indo onde quer que for, fazei discípulos.

1.2 Evangelizar agrada a Deus.
A vontade de Deus é que nenhum ser humano se perca, ou seja, ninguém vá para o inferno, porém é necessário que as pessoas creiam em Jesus como o Salvador. Mt 18.14; Jo 6.39. Há grande alegria no céu por um pecador que se arrepende. Se queremos agradar a Deus, precisamos mostra o seu grande amor para com aqueles que ainda não experimentaram o gozo e paz que a salvação em Jesus proporciona. Evangelizar é uma obrigação nossa e temos que fazer com prazer e amor. 1 Co 9.16

1.3. Não podemos negligenciar a ordem de semear. Ex 33.8-9
Não cumprir esta ordenança de Jesus pode custar caro a nós mesmos. A Bíblia diz que aquele que não chama o pecador ao arrependimento terá o seu sangue requerido de suas mãos, caso o indivíduo venha a perecer. Mas o que prega o Evangelho ao pecador, este é tomado por inocente, pois aí a escolha é do pecador em crer ou não, arrepender ou não.

2. SEMEANDO EM LÁGRIMAS
Quando o salmista fala de levar a preciosa semente andando e chorando, ele está fazendo referência às lutas que nos advêm ao longo da caminhada cristã. Semear é algo trabalhoso e muito cansativo. A terra deve ser preparada e o lugar de plantio deve ser escolhido corretamente. Enquanto faz isso, o semeador, soa, suspira e se esforça grandemente.

2.1 Semear em lágrimas é sentir dor pelos perdidos.
A salvação e a libertação que experimentamos deve nos levar a sentir profunda dor e compaixão por aqueles que vivem longe de Deus – aprisionados nas garras do inimigo. E quando absorvemos os sentimentos de Cristo, a dor produzida por esta visão é capaz de provocar uma reação em cadeia em nosso interior; esta reação, de dentro para fora, nos obriga a tomar a decisão de procurar alcançar os perdidos para Cristo. O texto de Hebreus 5.7 refere-se à agonia do Getsêmani, quando Jesus não apenas suou sangue, mas também orou com forte clamor e lágrimas. Jesus demonstrou um grande peso pela culpa humana. Isso nos ensina como deveríamos olhar para a situação das pessoas.

2.2 Semear em lágrimas é superar dificuldades.
Semear é algo trabalhoso e muito cansativo. A terra deve ser preparada e o lugar de plantio deve ser escolhido corretamente. Enquanto faz isso, o semeador, soa, suspira e se esforça grandemente.
Quando o salmista fala de levar a preciosa semente andando e chorando, ele esta fazendo referência às lutas que nos advêm ao longo da nossa caminhada cristã. Nós somos chamados a suportar as aflições e ao mesmo tempo semear boas obras, mas sabendo que tudo isto nos produzirá uma colheita abundante na glória de Deus: “Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente;”2 Co 4.17.

2.3 Semear em lágrimas é não desistir de plantar.
Mesmo que o solo seja ruim, os espinhos sufoquem a semente, ou os ventos espalhem o que foi semeado, o semeador não pode desistir. Uma certeza gloriosa que podemos ter é que, quando semeamos o fruto do Espírito até o fim, quando não abandonamos a nossa lavoura, a nossa colheita de alegria é infalível: “E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido.” Gl 6.9.
3. VIVENDO A ALEGRIA DA COLHEITA
No serviço a Deus, não pode faltar prazer, entusiasmo e alegria no que estamos fazendo. Se perdemos a alegria, perdemos a essência, pois a alegria está ligada a salvação. A Bíblia diz que quando um pecador se arrepende há festa no céu. Se perdemos a emoção e o prazer em ganhar vidas, os resultados não serão satisfatórios, nem para Deus e nem para nós.

3.1 A alegria do trabalho na Colheita. Mt 9.38
Tempo da colheita também é tempo de trabalho. É preciso trabalho para colher o fruto. É tempo de rogar ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara.
Muitas vezes queremos colher com facilidade e descanso; talvez este pensamento já tenha nos atrapalhado a colher os frutos que Deus nos têm preparado.
É preciso trabalhar para colher, ter esforço e cuidado para que o fruto não se estrague e tudo seja perdido. Precisamos saber manter o fruto colhido. Jo 15.16b

3.2 A alegria da fartura na colheita. Lv 26.4,5.
Quando estamos no deserto, a bênção vem contada, racionada, somente para aquele dia, como era com o maná para o povo de Israel no deserto. Isto porque no deserto não se pode semear e muito menos colher. Mas, quando podemos lançar a semente e esperar com certeza, o tempo da colheita chega e podemos alegrar com a fartura. Na seara do Senhor é assim. Se para semear custou lágrimas, a colheita nos traz fartura de alegria, pois os frutos são almas para o reino do céu. Esses frutos não tem preço, só podem ser comprados com o sangue do Cordeiro.

3.3 A alegria da festa no céu. Lc 15.7
Quais são os reais motivos para que haja uma grande festa no céu? Segundo o evangelho de Lucas, é quando um ser humano pecador se arrepende de seus pecados. Não há alegria maior do que ver uma alma sendo resgatada das garras do pecado. Esta é a maior conquista que alguém pode alcançar. Portanto, quando colhemos um fruto da semente do Evangelho, também esta deve ser nossa maior conquista e o motivo maior da nossa alegria.

CONCLUSÃO
Não nos esqueçamos: É tempo de semear o evangelho no coração e de colher vidas. Precisamos pregar e usar outros meios lícitos para ganharmos vidas para Cristo. O Senhor nos salvou para que levemos a Sua salvação a outros. Não podemos perder tempo. Que Ele, ao voltar, nos encontre trabalhando, semeando a semente do seu Evangelho nos corações.

Pr. Osmar Alves Rodrigues
Secretário de Missões e 1º Vice presidente da Igreja Assembleia de Deus Ministério Madureira em Anápolis

 

Deixe seu Comentário

Mensagens
Curta Nossa Página
Facebook By Weblizar Powered By Weblizar