IMPEDIMENTOS NA CAMINHADA CRISTÃ

IMPEDIMENTOS NA CAMINHADA CRISTÃ

Julho 12th, 2017
Diversos
0

“Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”. Jo 16.33

INTRODUÇÂO

A vida cristã não é um mar de rosas, ser cristão não é viver sem perigos; é lutar todo dia contra o pecado, é uma guerra continua contra a carne, o mundo e o diabo. A vida do apostolo Paulo ilustra essa verdade de forma bem precisa. Apesar de ser um apostolo, pastor, evangelista, teólogo, missionário e plantador de igrejas em todo mundo, ele encerrou sua caminhada enfrentando alguns obstáculos e experiências dolorosas em sua vida.
Estudaremos a caminhada cristã de um dos maiores personagens da Bíblia Sagrada, o apóstolo Paulo, e ainda exemplos de homens que perseveraram e não desistiram na caminhada. At 22:1-3; 2 Tm 4:9-15)
1. QUEM ERA PAULO? (AT. 22:1-3)
Conhecer um pouco dos antecedentes e formação de Paulo nos ajuda a compreendê-lo melhor. Varias passagens bíblicas relatam sua vida antes da conversão. Mas em Atos 22.3 o próprio Paulo nos dá informações de sua origem e formação.
a) Nascido em Tarso da Cilícia” (At 22.3). Paulo era Judeu e também cidadão romano, nasceu em Tarso que era a principal cidade da Cilícia, que fica numa região na costa sul da Turquia de hoje. Na época de Paulo ali estava estabelecida a capital de uma província romana. Era uma cidade prospera, culta e famosa por suas escolas de medicina. Paulo tinha orgulho de sua cidade, pois em Atos 21.39 ele a chama de “cidade não insignificante”. Nasceu em Tarso mas foi criado em Jerusalém, a capital mundial do saber teológico, aos pés do mestre Gamaliel, sobrinho do grande rabino Hillel.

b) Cidadão Romano (At 22.28). Paulo possuía a cidadania romana por nascimento. Provavelmente seu avô teria recebido essa cidadania oficial como recompensa por serviços prestados aos romanos. Por isso ele tinha o nome romano “Paulo”, ao lado do nome hebraico “Saulo” (At 13.9). Essa cidadania foi importante ao ministério de Paulo, pois permitiu ele livrar-se da prisão (At 16. 37-39), evitar castigo (At 22. 23-29) e defender sua causa perante o tribunal do imperador de Roma (At 25. 10-12).
c) O fazedor de tendas (At 18.3). A cidade natal de Paulo também teria influenciado sua profissão. O cilicium era um pano feito de pêlo de cabra, um produto local, era empregado na fabricação de tendas, e Lucas nos informa que a profissão de Paulo era “fazer tendas”. Foi nessa atividade que ele adquiriu recurso para investir no seu ministério apostólico para não ser pesado as igrejas (I Ts 2.9). Pois sabia que as igreja tinham compromissos e também necessidades que precisavam ser supridas.

2. OBSTÁCULOS E EXPERIÊNCIAS DOLOROSAS NA CAMINHADA DE PAULO
A vida desse bandeirante do cristianismo, nos encoraja a jamais desistir diante dos impedimentos, da solidão, do abandono, das privações e das traições que poderemos enfrentar na caminhada cristã.

a) Solidão e Abandono (2 Tm 4.10; 4.9,11,21,). Paulo estava preso numa masmorra Romana, na antessala do martírio e no corredor da morte. Em vez de estar cercado por amigos, estava sozinho, curtindo dolorosa solidão. Mesmo sendo assistido por Deus, desejou ardentemente a presença dos amigos e da solidariedade humana. A solidão e uma dor que dói na alma. Paulo também foi abandonado por Demas no final da vida. Aquele que deveria estar a seu lado, encorajando o apostolo diante da dura realidade do martírio que se aproximava. Bandeou-se para o mundo, amou o presente século e afastou-se. Paulo sentiu na pele a dor da solidão e do abandono, mas não envergonhou o evangelho. Mesmo sabendo que Deus jamais o abandonaria, expressou sua dor de ser deixado por aqueles que um dia caminharam com ele.
b) Privações (2Tm 4.13). Paulo enfrentou no fim da vida três privações: a primeira foi a privação emocional, pois sentiu-se só num calabouço frio, úmido, escuro e insalubre; em segunda a privação mental, pois estava desprovido de seus livros e pergaminhos, pois não podia aprofundar-se nas verdades eternas de Deus; em terceira foi a privação física, pois na chegado do inverno precisava de sua capa, talvez velha e suja, para proteger o corpo cicatrizado do frio insuportável.
O maior expoente do cristianismo está agora jogado numa masmorra, à beira do martírio, sem ter se quer uma capa para vestir. As privações desta caminhada não podem ser motivos, para nos afastar do amor de Deus.
c) Traição (2Tm 4.14,15). Paulo foi traído por Alexandre, o latroeiro. Esse homem lhe causou muitos males e também resistiu fortemente às suas palavras. Foi Alexandre que delatou Paulo, culminado na sua segunda prisão em Roma e no consequente martírio. Não é fácil ser traído, não é fácil lidar com pessoas que buscam uma oportunidade para puxar o nosso tapete e nos apunhalar pelas costas. Em vez de guardar mágoa, entregou para Deus sua causa, dizendo: o Senhor lhe dará a paga segundo as suas obras (2Tm 4.14).
Mesmo passando por esses dramas, obstáculos e experiências dolorosas na caminhada, Paulo diz: combati o bom combate, completei a carreira a guardei a fé (2Tm 4.7).

3. PERSEVERANÇA PARA VENCER OS IMPEDIMENTOS.
O significado de perseverança é firme e constante; persistir, prosseguir, continuar a ser ou ficar; manter-se, permanecer, conservar-se, persistir, conservar a sua força ou ação, continuar, perdurar, subsistir, persistir, firmeza; permanecer sem mudar ou sem variar de intento. Veremos o exemplo de homens que foram perseverantes na caminhada.

a) Perseverança de José (Gn 37. 5-9). Um exemplo bíblico de perseverança é José, que após ter revelações em sonhos, passou por situações adversas, sendo inclusive jogado em uma cova por seus próprios irmãos (Gn 37.24) e depois foi vendido como escravo a mercadores (Gn 37.28), tentado várias vezes a deitar-se com a mulher de Potifar e por manter-se firme e fiel foi injustamente lançado num cárcere, lá foi promovido a carcereiro, interpretou o sonho do copeiro e pediu a ele para lembrar-se dele quando estivesse livre e restabelecido em seu cargo de confiança, foi esquecido por mais dois anos.
Deus tinha um enorme propósito a realizar através de sua vida, fazer dele o governador do Egito. Mas isto só foi possível porque o Senhor era com ele (Gn 39. 2, 21), e com perseverança, José alcançou as promessas reveladas por sonho a ele (Gn 42.6).

b) Perseverança de Jó (Jó 1.8). Embora a maioria dos cristãos de hoje não sofram tanto quanto Jó, ainda assim são afligidos por vários tipos de dificuldades. Muitos enfrentam perseguição ou problemas familiares, dificuldades econômicas ou saúde fraca que pode resultar em muita aflição, talvez haja momentos na vida em que nossas provações pareçam intermináveis e nosso sofrimento, quase insuportável.
Jó tinha uma desvantagem que nós não temos. Ele não sabia por que aquelas tragédias, doenças e perseguições injustas aconteceram com ele. Ter a mesma determinação de Jó nos ajudará a manter a integridade sob quaisquer circunstâncias, em face de tentações, oposição ou adversidades. O Senhor disse a igreja de Esmirna em Apocalipse 2.10 “Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida”.
c) A Perseverança de Noé (Gn 6.22). Quando Noé começou a construir a Arca, tenho certeza que várias pessoas o criticaram ou tentaram desanimá-lo. Porém, quem está disposto a cumprir o chamado e a ordem de Deus pra sua vida, não tem seus ouvidos abertos para as palavras contrárias à promessa. Noé também estava sujeito às tentações da época, a sociedade também tentava exercer influência sobre ele, porém Noé não se desestabilizou. Manteve-se firmemente no seu propósito. Noé lutou, perseverou, trabalhou, sacrificou, orou, creu, insistiu por 120 anos. Noé recebeu um chamado e o cumpriu. Ele tinha que construir uma arca, como todos já sabemos. Noé obteve uma grandiosa vitória. Sua família salva, sua vida salva, e assim realizou o sonho de Deus.
O Senhor colocou um alvo em seu coração. Não desista do seu casamento, da sua empresa, dos seus estudos, do seu ministério, do seu chamado, da sua liderança, dos propósitos de Deus para sua vida. Lute! siga em frente. Abraão perseverou 25 anos aguardando a promessa de Deus; José perseverou 13 anos para ver o cumprimento dos seus sonhos; Davi perseverou 17 anos para chegar ao trono em Israel; Moisés perseverou 40 anos para libertar o povo do Egito; Thomas Edson perseverou em 6.000 tentativas para ver a primeira lâmpada da história acender; Santos Dumont perseverou em 14 tentativas para ver seu avião sobrevoar sem cair. A grande pergunta é: Por quanto tempo ou por quantas vezes você está disposto a perseverar?

CONCLUSÃO
A vida cristã é como uma corrida. Precisamos ter foco, meta e prosseguir até o final, para alcançar os propósitos de Deus para nossa vida. Todos nós precisamos ser encorajados e exortados a não parar no meio da caminhada. Por isso, tenha PERSEVERANÇA! NÃO DESISTA! VÁ ATÉ O FINAL COM DEUS.

Pr Wender Antonelli

 

 

Deixe seu Comentário

Mensagens
Curta Nossa Página
Facebook By Weblizar Powered By Weblizar